Prefeitura de Riachão Promove Ações Educativa Contra o Calazar.

A Secretaria Municipal de Saúde de Riachão realizou nesta quarta-feira dia (31), uma caminhada de enfrentamento da Leishmaniose. De acordo com a secretaria Cícera Cerqueira, varias ações irão acontecer na cidade como: vacinação antirrábica, visitas domiciliares e exposição educativa entre outras.

LEISHIMANIOSE VISCERAL – “CALAZAR”

O calazar possui um alto índice de casos, principalmente em indivíduos não tratados e crianças desnutridas, é também considerada prevalente em nossa região, tonando-se uma das doenças mais importante da atualidade.

Tem ampla distribuição ocorrendo na Ásia, Europa, no Oriente Médio, na África e nas Américas.

Na América latina, a doença já foi descrita em pelo menos 12 países, sendo que 90% dos casos ocorrem no Brasil, especialmente na Região Nordeste.

CAUSAS:

É uma doença não contagiosa (ou seja, não transmite de pessoas para pessoa), causada por um protozoário, transmitida através da picada do mosquito flebótomo, conhecido popularmente por mosquito-palha, cangalha ou birigui.

A transmissão acontece quando fêmeas infectadas picam cães ou outros animais infectados, e depois picam o homem, transmitindo a doença.

SINTOMAS NO SER HUMANO:

Febre irregular de longa duração, geralmente no período da tarde falta de apetite, emagrecimento, fraqueza;

Aumento abdominal (pelo aumento do fígado e do baço com o passar do tempo)

Anemia;

Sangramentos (fase mais avançada da doença);

SINTOMAS NOS CÃES:

60% dos cães não apresentam sintomas;

Depois os cães passam a apresentar sintomas iniciais: emagrecimento. Aumento das unhas e queda de pelos esses são os principais sintomas no cachorro!

PREVENÇÃO

A prevenção ocorre através do combate ao inseto transmissor. É possível mantê-lo longe, especialmente com o apoio da população, no que diz respeito à higiene ambiental.

Limpeza periódica dos quintais, retirada de folhas, frutos, fezes de animais e outros entulhos, locais onde os mosquitos se desenvolvem;

Limpeza dos abrigos de animais domésticos, além da manutenção de animais domésticos distantes do domicilio, especialmente durante a noite, a fim de reduzir a atração dos mosquitos para dentro do domicilio.

Uso de inseticida (aplicado nas paredes de domicílios e abrigos de animais). No período cedo da manhã e ao entardecer.

Uso de repelentes principalmente nas crianças.