Maranhão Institui o Vazio Sanitário Vegetal do Algodão.

Imagem (Crédito Eugênio Pires).

Os produtores de algodão dos municípios que integram a regional de Balsas, a partir de 1º de outubro devem estar atentos, pois começa o período do vazio sanitário do algodoeiro, de acordo com a Portaria nº 497/2018, que estabelece ações de caráter técnico-administrativo e medidas fitossanitárias obrigatórias visando à prevenção e ao controle do bicudo-do-algodoeiro no Estado do Maranhão. O vazio sanitário terminará em 30 de novembro de cada ano calendário e a semeadura da próxima safra estará liberada a partir de 1º de dezembro.

Imagem (Crédito Eugênio Pires).

A legislação vigente dividiu o Estado em duas grandes regiões no que diz respeito ao vazio sanitário vegetal do algodão, período caracterizado pela ausência de plantas com risco fitossanitário e restrição de plantio.

Imagem (Crédito Eugênio Pires).

Para Eugênio Pires, gestor regional da Aged de Balsas, considerando a importância da cultura do algodoeiro na economia maranhense, é importante o produtor estar atento às determinações da AGED/MA para evitar uma pressão maior de pragas como o bicudo-do-algodoeiro na próxima safra, já que o vazio sanitário vegetal visa eliminar a chamada “ponte verde”, responsável pela alimentação de insetos-praga e vetores de doenças do algodoeiro no período de entressafra.

No Maranhão na safra 17/18 foram cultivados com algodão 22.343,10 hectares, sendo 16.969,03 na safra e 5.374,07 em segunda safra, com previsão de aumento na safra seguinte para 25 ou 28 mil hectares.

Imagem (Crédito Eugênio Pires).

A Portaria nº 497/2018, que trata do vazio sanitário vegetal, incluiu o conceito “planta com risco fitossanitário”, que são as plantas do algodoeiro tigueras (plantas germinadas voluntariamente em qualquer lugar que não tenham sido semeadas) acima do estádio V3 e plantas rebrotadas (soqueiras) com mais de 4 (quatro) folhas por broto ou estruturas reprodutivas são consideradas plantas com risco fitossanitário. Sendo obrigatória a destruição das mesmas, por meio de controle químico ou mecânico, até o início do período estabelecido para o Vazio Sanitário Vegetal do algodoeiro no Estado do Maranhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *